Imagens para Pensar!

Imagens para Pensar!

quinta-feira, 2 de agosto de 2007

RETROSPECTIVA PAN 2007: MARATONA!


NO ÚLTIMO DIA DE PANAMERICANO, HOUVE A MARATONA, QUE FOI VENCIDA PELO BRASILEIRO FRANK CALDEIRA!

COM UMA ARARRANCADA ESPETACULAR NO FINAL O MINEIRINHO GARANTIU UMA DAS ÚLTIMAS MEDALHAS DE OURO PARA O BRASIL!

HAVIA OUTROS BRASILEIROS NA CORRIDA, COMO VANDERLEI CORDEIRO DE LIMA, BRONZE EM ATENAS, QUE ABANDONOU DURANTE O DECORRER DA PROVA.

O IMPORTANTE FOI A MEDALHA GANHA!!

terça-feira, 31 de julho de 2007

NÚMEROS DO PAN RIO 2007!

VEJA ALGUNS NÚMEROS DO PAN RIO 2007!
Na prova de maratona aquática, Poliana Okimoto ficou com a prata e ganhou a primeira medalha para o Brasil nos Jogos Pan-Americanos do Rio.
No segundo dia dos Jogos, Diogo Silva venceu a disputa da categoria até 68 kg do taekwondo e garantiu o 1º ouro ao Brasil no Pan.
O Brasil terminou na terceira colocação no Pan do Rio, com 161 medalhas (54 de ouro, 40 de prata e 67 de bronze), atrás apenas dos EUA e de Cuba.
Quatro países (El Salvador, Panamá, Antígua e Barbuda e Antilhas Holandesas) ganharam somente uma medalha de ouro no Pan do Rio. Na foto, Cristina López (El Salvador), ouro na marcha atlética.
Pela quinta vez na história dos Jogos, o Brasil ficou com o ouro na disputa de simples masculina do tênis. O título veio com Flávio Saretta, que derrotou o chileno Adrian García por 2 sets a 1.
No Rio, Jadel Gregório conquistou a sexta medalha de ouro do Brasil no salto triplo na história dos Jogos Pan-Americanos. Antes dele, Adhemar Ferreira da Silva foi tricampeão (51, 55 e 59), e João do Pulo, bi (75 e 79).
A Argentina finalizou apenas na sétima colocação no quadro de medalhas dos Jogos do Rio. Os argentinos conquistaram 59 medalhas (11 de ouro, 15 de prata e 33 de bronze).
O nadador Thiago Pereira foi o grande nome do Brasil nos Jogos Pan-Americanos do Rio. Ele conquistou oito medalhas, sendo seis de ouro, uma de prata e uma de bronze.

O mesa-tenista Hugo Hoyama se tornou o atleta brasileiro recordista de medalhas de ouro em Jogos Pan-Americanos. No Rio, ele faturou sua nona insígnia dourada.
Dez dos 42 países não conquistaram nenhuma medalha no Rio. Ficaram fora do pódio Aruba, Belize, Bermudas, Bolívia, Costa Rica, Ilhas Virgens, Ilhas Virgens Britânicas, São Cristóvão e Névis, São Vicente e Granadinas e Suriname.
No Pan do Rio, os EUA mantiveram sua hegemonia na disputa feminina por equipes da ginástica artística. As norte-americanas conquistaram o 11º ouro na história da competição. Na foto, a ginasta Rebecca Bross.
Após 12 anos, o Brasil voltou ao pódio na disputa do levantamento de peso. No Pan do Rio, Fabrício Francisco Mafra foi medalha de bronze na categoria até 105 kg.
Os judocas brasileiros subiram ao pódio em 13 das 14 categorias disputadas nos Jogos do Rio. Em dez finais, os brasileiros faturaram quatro ouros e seis pratas, além de três bronzes. Na foto, Edinanci Silva, ouro na categoria até 78 kg.
Cuba conquistou 14 medalhas na disputa das lutas greco-romana e livre nos Jogos Pan-Americanos do Rio, sendo nove de ouro, uma de prata e quatro de bronze.
A adolescente Luíza Almeida, de 15 anos, participou da equipe brasileira que conquistou o bronze no adestramento no Pan do Rio.
Mesmo sem seus principais atletas, os EUA dominaram a disputa da ginástica artística no Pan do Rio, alcançando 16 pódios (homens e mulheres), sendo seis ouros, sete pratas e três bronzes. Na foto, Justin Spring, que foi ouro nas barras paralelas.
Dezessete das 54 medalhas de ouro conquistadas pelo Brasil nos Jogos Pan-Americanos do Rio foram obtidas na disputa de provas para mulheres. Na foto, Maurren Maggi, ouro no salto em distância.
Sede da próxima edição dos Jogos Pan-Americanos, o México conquistou apenas 18 ouros no Pan do Rio, desempenho inferior ao obtido em 2003, quando ganhou 20 insígnias douradas. Na foto, Ana Guevara, que foi ouro nos 400 m.
Dezenove dos 41 países participantes conquistaram pelo menos uma medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos do Rio. Na foto, Churandy Martina, que ganhou nos 100 m rasos o único ouro das Antilhas Holandesas.
Com o tempo de 20s37, Brendan Christian venceu os 200 m rasos no Pan do Rio e conquistou o primeiro ouro da história de Antígua e Barbuda nos Jogos.
Uma das forças mundiais da modalidade, a seleção argentina feminina de hóquei sobre a grama não tomou conhecimento das brasileiras no Pan e ganhou por 21 a 0 na primeira fase da competição. A Argentina foi campeã do torneio.
O atletismo brasileiro alcançou seu melhor desempenho em Jogos Pan-Americanos, com 23 pódios (9 de ouro, 5 de prata e 9 de bronze), superando o desempenho de 1999, quando tinha ganhado 16 medalhas. Na foto, Franck Caldeira, ouro na maratona.
Após 24 anos, a seleção brasileira masculina de vôlei voltou a ganhar a medalha de ouro em Jogos Pan-Americanos. A equipe do técnico Bernardinho foi campeã sem perder nenhum set.
A natação foi o esporte que mais deu medalhas ao Brasil nos Jogos Pan-Americanos do Rio. Foram 27 pódios, com 12 de ouro, 6 de prata e 9 de bronze.
Após 32 anos, o Brasil voltou ao pódio na disputa da esgrima. O país ganhou bronze com Clarisse Menezes (espada), Renzo Agresta (sabre) e João Antônio Souza (florete).
A seleção brasileira feminina de futebol chegou à conquista do ouro com uma campanha fantástica. A equipe venceu todos os jogos, com 33 gols marcados e nenhum sofrido. Na foto, Marta, que foi a destaque da equipe.
Após 40 anos, o Brasil voltou a figurar na terceira colocação no quadro de medalhas. O país não alcançava tal feito desde os Jogos de Winnipeg (Canadá), em 1967.
Segundo o Comitê Olímpico Brasileiro (COB), o Brasil ganhou medalhas em 41 das 47 modalidades disputadas nos Jogos Pan-americanos do Rio. Na foto, Fábio Rezende e Rodrigo Hermes, prata no boliche.
No Pan do Rio, o Brasil quebrou um tabu de 44 anos sem conquistar um ouro no boxe. O feito foi alcançado pelo pugilista Pedro Lima, que venceu a categoria até 69 kg.
Os atletas brasileiros ganharam 54 ouros nos Jogos, superando a marca dos Jogos de Santo Domingo, em 2003, quando faturaram 29 ouros. Na foto, Marcelo Giardi, ouro no esqui aquático.
Pela primeira vez desde os Jogos de 1955, os EUA terminaram o Pan com menos de 100 medalhas de ouro. No Rio, os norte-americanos subiram ao lugar mais alto do pódio 97 vezes. Na foto, Sara Slattery, que ganhou ouro nos 10.000 m.
O Brasil terminou o Pan do Rio com um recorde de 161 medalhas, superando a marca dos Jogos de Santo Domingo, em 2003, quando subiu ao pódio 123 vezes.
Mesmo sem contar com força máxima, os EUA terminaram com facilidades na primeira posição no quadro de medalhas do Pan do Rio. Foram 237 pódios (97 de ouro, 88 de prata e 52 de bronze).
Segundo o Comitê Olímpico Brasileiro (COB), quase 50% dos atletas brasileiros ganharam medalhas no Pan. Dos 660, 315 subiram ao pódio. Contribui para isso as vitórias nos esportes coletivos, como o handebol (foto), vôlei, basquete.

Na prova de maratona aquática, Poliana Okimoto ficou com a prata e ganhou a primeira medalha para o Brasil nos Jogos Pan-Americanos do Rio.
No segundo dia dos Jogos, Diogo Silva venceu a disputa da categoria até 68 kg do taekwondo e garantiu o 1º ouro ao Brasil no Pan.
O Brasil terminou na terceira colocação no Pan do Rio, com 161 medalhas (54 de ouro, 40 de prata e 67 de bronze), atrás apenas dos EUA e de Cuba.
Quatro países (El Salvador, Panamá, Antígua e Barbuda e Antilhas Holandesas) ganharam somente uma medalha de ouro no Pan do Rio. Na foto, Cristina López (El Salvador), ouro na marcha atlética.
Pela quinta vez na história dos Jogos, o Brasil ficou com o ouro na disputa de simples masculina do tênis. O título veio com Flávio Saretta, que derrotou o chileno Adrian García por 2 sets a 1.
No Rio, Jadel Gregório conquistou a sexta medalha de ouro do Brasil no salto triplo na história dos Jogos Pan-Americanos. Antes dele, Adhemar Ferreira da Silva foi tricampeão (51, 55 e 59), e João do Pulo, bi (75 e 79).
A Argentina finalizou apenas na sétima colocação no quadro de medalhas dos Jogos do Rio. Os argentinos conquistaram 59 medalhas (11 de ouro, 15 de prata e 33 de bronze).
O nadador Thiago Pereira foi o grande nome do Brasil nos Jogos Pan-Americanos do Rio. Ele conquistou oito medalhas, sendo seis de ouro, uma de prata e uma de bronze.
O mesa-tenista Hugo Hoyama se tornou o
atleta brasileiro recordista de medalhas de ouro em Jogos Pan-Americanos. No
Rio, ele faturou sua nona insígnia dourada.
Dez dos 42 países não conquistaram nenhuma medalha no Rio. Ficaram fora
do pódio Aruba, Belize, Bermudas, Bolívia, Costa Rica, Ilhas Virgens, Ilhas
Virgens Britânicas, São Cristóvão e Névis, São Vicente e Granadinas e Suriname.
No Pan do Rio, os EUA mantiveram sua hegemonia
na disputa feminina por equipes da ginástica artística. As norte-americanas
conquistaram o 11º ouro na história da competição. Na foto, a
ginasta Rebecca Bross.
Após 12 anos, o
Brasil voltou ao pódio na disputa do levantamento de peso. No Pan do Rio,
Fabrício Francisco Mafra foi medalha de bronze na categoria até 105 kg.
Os judocas brasileiros subiram ao pódio em 13
das 14 categorias disputadas nos Jogos do Rio. Em dez finais, os brasileiros
faturaram quatro ouros e seis pratas, além de três bronzes. Na foto, Edinanci
Silva, ouro na categoria até 78 kg.
Cuba
conquistou 14 medalhas na disputa das lutas greco-romana e livre nos Jogos
Pan-Americanos do Rio, sendo nove de ouro, uma de prata e quatro de bronze.
A adolescente Luíza Almeida, de 15 anos,
participou da equipe brasileira que conquistou o bronze no adestramento no Pan
do Rio.
Mesmo sem seus principais atletas, os
EUA dominaram a disputa da ginástica artística no Pan do Rio, alcançando 16
pódios (homens e mulheres), sendo seis ouros, sete pratas e três bronzes. Na
foto, Justin Spring, que foi ouro nas barras paralelas.
Dezessete das 54 medalhas de ouro conquistadas pelo
Brasil nos Jogos Pan-Americanos do Rio foram obtidas na disputa de provas para
mulheres. Na foto, Maurren Maggi, ouro no salto em distância.
Sede da próxima edição dos Jogos Pan-Americanos, o México
conquistou apenas 18 ouros no Pan do Rio, desempenho inferior ao obtido em 2003,
quando ganhou 20 insígnias douradas. Na foto, Ana Guevara, que foi ouro nos 400
m.
Dezenove dos 41 países participantes
conquistaram pelo menos uma medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos do Rio. Na
foto, Churandy Martina, que ganhou nos 100 m rasos o único ouro das Antilhas
Holandesas.
Com o tempo de 20s37, Brendan
Christian venceu os 200 m rasos no Pan do Rio e conquistou o primeiro ouro da
história de Antígua e Barbuda nos Jogos.
Uma
das forças mundiais da modalidade, a seleção argentina feminina de hóquei sobre
a grama não tomou conhecimento das brasileiras no Pan e ganhou por 21 a 0 na
primeira fase da competição. A Argentina foi campeã do torneio.
O atletismo brasileiro alcançou seu melhor desempenho em
Jogos Pan-Americanos, com 23 pódios (9 de ouro, 5 de prata e 9 de bronze),
superando o desempenho de 1999, quando tinha ganhado 16 medalhas. Na foto,
Franck Caldeira, ouro na maratona.
Após 24
anos, a seleção brasileira masculina de vôlei voltou a ganhar a medalha de ouro
em Jogos Pan-Americanos. A equipe do técnico Bernardinho foi campeã sem perder
nenhum set.
A natação foi o esporte que mais
deu medalhas ao Brasil nos Jogos Pan-Americanos do Rio. Foram 27 pódios, com 12
de ouro, 6 de prata e 9 de bronze.
Após 32 anos, o Brasil voltou ao pódio na disputa da esgrima. O país
ganhou bronze com Clarisse Menezes (espada), Renzo Agresta (sabre) e João
Antônio Souza (florete).
A seleção brasileira
feminina de futebol chegou à conquista do ouro com uma campanha fantástica. A
equipe venceu todos os jogos, com 33 gols marcados e nenhum sofrido. Na foto,
Marta, que foi a destaque da equipe.
Após 40
anos, o Brasil voltou a figurar na terceira colocação no quadro de medalhas. O
país não alcançava tal feito desde os Jogos de Winnipeg (Canadá), em 1967.
Segundo o Comitê Olímpico Brasileiro (COB), o
Brasil ganhou medalhas em 41 das 47 modalidades disputadas nos Jogos
Pan-americanos do Rio. Na foto, Fábio Rezende e Rodrigo Hermes, prata no
boliche.
No Pan do Rio, o Brasil quebrou um
tabu de 44 anos sem conquistar um ouro no boxe. O feito foi alcançado pelo
pugilista Pedro Lima, que venceu a categoria até 69 kg.
Os atletas brasileiros ganharam 54 ouros nos Jogos,
superando a marca dos Jogos de Santo Domingo, em 2003, quando faturaram 29
ouros. Na foto, Marcelo Giardi, ouro no esqui aquático.
Pela primeira vez desde os Jogos de 1955, os EUA terminaram o Pan com
menos de 100 medalhas de ouro. No Rio, os norte-americanos subiram ao lugar mais
alto do pódio 97 vezes. Na foto, Sara Slattery, que ganhou ouro nos 10.000
m.
O Brasil terminou o Pan do Rio com um
recorde de 161 medalhas, superando a marca dos Jogos de Santo Domingo, em 2003,
quando subiu ao pódio 123 vezes.
Mesmo sem
contar com força máxima, os EUA terminaram com facilidades na primeira posição
no quadro de medalhas do Pan do Rio. Foram 237 pódios (97 de ouro, 88 de prata e
52 de bronze).
Segundo o Comitê Olímpico
Brasileiro (COB), quase 50% dos atletas brasileiros ganharam medalhas no Pan.
Dos 660, 315 subiram ao pódio. Contribui para isso as vitórias nos esportes
coletivos, como o handebol (foto), vôlei, basquete.
Na prova
de maratona aquática, Poliana Okimoto ficou com a prata e ganhou a primeira
medalha para o Brasil nos Jogos Pan-Americanos do Rio.
No segundo dia dos Jogos, Diogo Silva venceu a disputa da categoria até
68 kg do taekwondo e garantiu o 1º ouro ao Brasil no Pan.
O Brasil terminou na terceira colocação no Pan do Rio, com 161
medalhas (54 de ouro, 40 de prata e 67 de bronze), atrás apenas dos EUA e de
Cuba.
Quatro países (El Salvador, Panamá,
Antígua e Barbuda e Antilhas Holandesas) ganharam somente uma medalha de ouro no
Pan do Rio. Na foto, Cristina López (El Salvador), ouro na marcha
atlética.
Pela quinta vez na história dos
Jogos, o Brasil ficou com o ouro na disputa de simples masculina do tênis. O
título veio com Flávio Saretta, que derrotou o chileno Adrian García por 2 sets
a 1.
No Rio, Jadel Gregório conquistou a sexta
medalha de ouro do Brasil no salto triplo na história dos Jogos Pan-Americanos.
Antes dele, Adhemar Ferreira da Silva foi tricampeão (51, 55 e 59), e João do
Pulo, bi (75 e 79).
A Argentina finalizou
apenas na sétima colocação no quadro de medalhas dos Jogos do Rio. Os argentinos
conquistaram 59 medalhas (11 de ouro, 15 de prata e 33 de bronze).
O nadador Thiago Pereira foi o grande nome do Brasil nos
Jogos Pan-Americanos do Rio. Ele conquistou oito medalhas, sendo seis de ouro,
uma de prata e uma de bronze.
O mesa-tenista
Hugo Hoyama se tornou o atleta brasileiro recordista de medalhas de ouro em
Jogos Pan-Americanos. No Rio, ele faturou sua nona insígnia dourada.
Dez dos 42 países não conquistaram nenhuma medalha no
Rio. Ficaram fora do pódio Aruba, Belize, Bermudas, Bolívia, Costa Rica, Ilhas
Virgens, Ilhas Virgens Britânicas, São Cristóvão e Névis, São Vicente e
Granadinas e Suriname.
No Pan do Rio, os EUA
mantiveram sua hegemonia na disputa feminina por equipes da ginástica artística.
As norte-americanas conquistaram o 11º ouro na história da competição. Na foto,
a ginasta Rebecca Bross.
Após 12 anos, o
Brasil voltou ao pódio na disputa do levantamento de peso. No Pan do Rio,
Fabrício Francisco Mafra foi medalha de bronze na categoria até 105 kg.
Os judocas brasileiros subiram ao pódio em 13 das 14 categorias disputadas nos Jogos do Rio. Em dez finais, os brasileiros faturaram quatro ouros e seis pratas, além de três bronzes. Na foto, Edinanci Silva, ouro na categoria até 78 kg.
Cuba conquistou 14 medalhas na disputa das lutas greco-romana e livre nos Jogos Pan-Americanos do Rio, sendo nove de ouro, uma de prata e quatro de bronze.
A adolescente Luíza Almeida, de 15 anos, participou da equipe brasileira que conquistou o bronze no adestramento no Pan do Rio.
Mesmo sem seus principais atletas, os EUA dominaram a disputa da ginástica artística no Pan do Rio, alcançando 16 pódios (homens e mulheres), sendo seis ouros, sete pratas e três bronzes. Na foto, Justin Spring, que foi ouro nas barras paralelas.
Dezessete das 54 medalhas de ouro conquistadas pelo Brasil nos Jogos Pan-Americanos do Rio foram obtidas na disputa de provas para mulheres. Na foto, Maurren Maggi, ouro no salto em distância.
Sede da próxima edição dos Jogos Pan-Americanos, o México conquistou apenas 18 ouros no Pan do Rio, desempenho inferior ao obtido em 2003, quando ganhou 20 insígnias douradas. Na foto, Ana Guevara, que foi ouro nos 400 m.
Dezenove dos 41 países participantes conquistaram pelo menos uma medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos do Rio. Na foto, Churandy Martina, que ganhou nos 100 m rasos o único ouro das Antilhas Holandesas.
Com o tempo de 20s37, Brendan Christian venceu os 200 m rasos no Pan do Rio e conquistou o primeiro ouro da história de Antígua e Barbuda nos Jogos.
Uma das forças mundiais da modalidade, a seleção argentina feminina de hóquei sobre a grama não tomou conhecimento das brasileiras no Pan e ganhou por 21 a 0 na primeira fase da competição. A Argentina foi campeã do torneio.
O atletismo brasileiro alcançou seu melhor desempenho em Jogos Pan-Americanos, com 23 pódios (9 de ouro, 5 de prata e 9 de bronze), superando o desempenho de 1999, quando tinha ganhado 16 medalhas. Na foto, Franck Caldeira, ouro na maratona.

Após 24 anos, a seleção brasileira masculina de vôlei voltou a ganhar a medalha de ouro em Jogos Pan-Americanos. A equipe do técnico Bernardinho foi campeã sem perder nenhum set.
A natação foi o esporte que mais deu medalhas ao Brasil nos Jogos Pan-Americanos do Rio. Foram 27 pódios, com 12 de ouro, 6 de prata e 9 de bronze.
Após 32 anos, o Brasil voltou ao pódio na disputa da esgrima. O país ganhou bronze com Clarisse Menezes (espada), Renzo Agresta (sabre) e João Antônio Souza (florete).
A seleção brasileira feminina de futebol chegou à conquista do ouro com uma campanha fantástica. A equipe venceu todos os jogos, com 33 gols marcados e nenhum sofrido. Na foto, Marta, que foi a destaque da equipe.
Após 40 anos, o Brasil voltou a figurar na terceira colocação no quadro de medalhas. O país não alcançava tal feito desde os Jogos de Winnipeg (Canadá), em 1967.
Segundo o Comitê Olímpico Brasileiro (COB), o Brasil ganhou medalhas em 41 das 47 modalidades disputadas nos Jogos Pan-americanos do Rio. Na foto, Fábio Rezende e Rodrigo Hermes, prata no boliche.
No Pan do Rio, o Brasil quebrou um tabu de 44 anos sem conquistar um ouro no boxe. O feito foi alcançado pelo pugilista Pedro Lima, que venceu a categoria até 69 kg.
Os atletas brasileiros ganharam 54 ouros nos Jogos, superando a marca dos Jogos de Santo Domingo, em 2003, quando faturaram 29 ouros. Na foto, Marcelo Giardi, ouro no esqui aquático.
Pela primeira vez desde os Jogos de 1955, os EUA terminaram o Pan com menos de 100 medalhas de ouro. No Rio, os norte-americanos subiram ao lugar mais alto do pódio 97 vezes. Na foto, Sara Slattery, que ganhou ouro nos 10.000 m.
O Brasil terminou o Pan do Rio com um recorde de 161 medalhas, superando a marca dos Jogos de Santo Domingo, em 2003, quando subiu ao pódio 123 vezes.
Mesmo sem contar com força máxima, os EUA terminaram com facilidades na primeira posição no quadro de medalhas do Pan do Rio. Foram 237 pódios (97 de ouro, 88 de prata e 52 de bronze).
Segundo o Comitê Olímpico Brasileiro (COB), quase 50% dos atletas brasileiros ganharam medalhas no Pan. Dos 660, 315 subiram ao pódio. Contribui para isso as vitórias nos esportes coletivos, como o handebol (foto), vôlei, basquete.


RETROPECTIVA: FUTEBOL SHOW!


O FUTEBOL DEU SHOW NO PAN!

O MASCULINO NÃO CONSEGUIU CHEGAR AS FASES FINAIS!

PORÉM O FEMININO, DEU UM SHOW, SEM TOMAR NENHUM GOL, E APLICANDO GOLEADAS FOI PASSANDO DE FASE!

E FEZ O CERTO, FOI CONQUISTADO, POUCO A POUCO, O CAMPEONATO!

E MERECIDAMENTE, VENCEU NA FINAL, DANDO O TROCO, DA FINAL ROUBADA OLÍMPICA, VENCEU POR 5 A 0!

MARTA COM MUTA ABILIDADE MOSTROU QUE O BRASIL NÃO É SÓ O PAÍS DO FUTEBOL MASCULINO, MAS TAMBÉM O DO FUTEBOL FEMININO!

E EM PEKIN 2008, NÓS VAMOS PROVAR QUE DEFINITIVAMENTE, SOMOS O MELHOR FUTEBOL, TANTO NO MASCULINO, COMO NO FEMININO!

ESTA FOI RETROSPECTIVA DO PAN RIO 2007!

VAMOS LÁ AGORA É PENSAR EM PEKIN 2008, BRASIL 2014 E RIO 2016!!

segunda-feira, 30 de julho de 2007

TABELA BRASILEIRÃO!

VEJA COMO FICOU A TABELA DO BRASILEIRÃO APÓS A RODADA DE ONTEM:
01-Botafogo 28
02-São Paulo 28
03-Grêmio 25
04-Vasco 23
05-Cruzeiro 23
06-Internacional 23
07-Goiás 23
08-Palmeiras 23
09-Atlético-MG 22
10-Paraná 22
11-Fluminense 21
12-Figueirense 19
13-Santos 18
14-Sport 18
15-Atlético-PR 18
16-Corinthians 16
17-Juventude 15
18-Náutico 13
19-Flamengo 12
20-América-RN 10

PRÓXIMOS JOGOS BRASILEIRÃO!

VEJA AGORA OS PRÓXIMOS JOGOS DO SEU TIME NO CAMPEONATO BRASILEIRO 2007!
Quarta
01/08/2007
Goiás x Paraná
Náutico x Fluminense
Palmeiras x Sport
Botafogo x América-RN
Atlético-PR x Corinthians
Atlético-MG x Santos
Internacional x Vasco
Quinta
02/08/2007
Figueirense x Grêmio
São Paulo x Juventude
Sábado, 04/08/2007
Corinthians x Goiás
América-RN x Náutico

BRASILEIRÃO!

NA RODADA EM QUE HOUVE O CLÁSSICO DAS MULTIDÕESOS RESULTADOS FORAM ESTES:
AMÉRICA-RN 0 X 1 SÃO PAULO
CORINTHIANS 2 X 2 FLAMENGO
JUVENTUDE 1 X 1 PALMEIRAS
CRUZEIRO 3 X 2 BOTAFOGO
FLUMINENSE 1 X 1 FIGUEIRENSE
PARANÁ 1 X 3 ATLÉTICO MG
SPORT 1 X 5 INTERNACIONAL
GRÊMIO 1 X 1 ATLÉTICO PR
SANTOS 1 X 2 NÁUTICO
VASCO 4 X 1 GOIÁS
ATLÉTICO PR 3 X O FLUMINENSE

RETROSPECTIVA RIO PAN 2007!

A PARTIR DE HOJE, DURANTE 1 MÊS, NESTE BLOG, TODOS OS DIAS, HAVERÁ UMA LEMBRANÇA DE UMA CONQUISTA BRASILEIRA NO PAN!

FIM DO: 'MELHOR PANAMERICANO DE TODOS OS TEMPOS!!"


ACABOU,

DEPOIS DE DIAS DE MUITA EMOÇÃO, DE DECEPÇÕES, DE VITÓRIAS, DE CONQUISTAS, DE SURPRESAS, E DE MUITAS COISAS QUE OS BRASILEIROS JAMAIS VÃO ESQUECER!

COM UMA EXEPCIONALIDADE DE RECEPÇÃO DO POVO BRASILEIRO, PRINCIPALMENTE OS CARIOCAS, QUE TIVERAM UMA RECEPÇÃO DIGNA DE UM PAÍS DE PONTA!

DESDE O ANÚNCIO QUE O PAN SERIA NO RIO EM 2007, TODOS NÓS JÁ SABÍAMOS, QUE ESTE EVENTO MUDARIA PARA O BEM OU PARA O MAL, DO JEITO EM QUE OS PAÍSES LÁ DE FORA DO MUNDO OLHARIAM PARA O NOSSO PAÍS!

ESTE SERIA O TESTE DE FOGO PARA O BRASIL, AGORA, COMO ESTE EVENTO PASSOU EM BRANCO EM QUESTÃO DE VIOLÊNCIA, JÁ PODEMOS CONSIDERAR A COPA DO MUNDO DE 2014 SERÁ NO BRASIL COM CERTEZA, A SEGURANÇA DO PAN, SEGUNDO PRESIDENTE LULA, FICARÁ EM SUA MAIORIA AINDA NO RIO.

A FESTA, TANTO DE ABERTURA, COMO A DE ENCERRAMENTO, FORAM LINDAS MARAVILHOSAS.

OS NOSSOS ATLETAS FIZERAM E DERAM O SEU MÁXIMO NAS COMPETIÇÕES, FAZENDO DE LONGE O MELHOR PAN DO BRASIL EM JOGOS PANAMERICANOS!

EM SETEMBRO AGORA, O COMITE BRASILEIRO IRÁ SE CANDIDATAR AOS JOGOS OLÍMPICOS 2016, E A CIDADE SEDE SERÁ O RIO TAMBÉM!

ESTE JOGOS VÃO DEIXAR SAUDADES, VAMOS SEMPRE NOS LEMBRAR COM CARINHO DE CADA ATLETA QUE SE DOOU, QUE ESTREOU, QUE SE APOSENTOU, QUE SE CONTUNDIU E NÃO COMPETIU, QUE MESMO CONTUDIDO COMPETIU, E DE VÁRIAS HISTÓRIAS!

VALEU!

VALEU E ATÉ COPA 2014 E

OLÍMPÍADAS DE 2016 RIO!!

ÚLTIMO OURO!


O TENISTA FLÁVIO SARETTA, ESTREANTE EM JOGOS PANAMERICANOS, OBTEVE A ÚLTIMA MEDALHA DE OURO DO BRASIL NO PAN, E A MAIOR CONQUISTA DO TENIS NO PAN RIO 2007!

MUITOS NÃO APOSTAVAM NO TENIS BRASILEIRO NO PAN, AINDA MAIS COM OS PRIMEIROS RESULTADOS, DERROTAS FRUSTRANTES.

NO ÚLTIMO DIA, NA ÚLTIMA COMPETIÇÃO, NA ÚLTIMA ESPERANÇA, O BRASIL OBTEVE A MAIOR CONQUISTA NO TENIS, O OURO!

VALEU SARETTA,

VALEU BRASIL!!

SPRINT FINAL!!!


O MINEIRO FRANK CALDEIRA, VENCEU ONTEM DE MANHÃ A MARATONA PANAMERICANA!

COM UMA ARRANCADA ESPETACULAR NO FIM O BRASILEIRO CONQUISTOU MAIS UMA MEDALHADE OURO PARA O BRASIL!

VANDERLEI CORDEIRO DE LIMA, TAMBÉM PARTICPOU DA MARATONA, PORÉM ABANDONOU A PROVA SENTINDO UMA CONTUSÃO!

NO ÚLTIMO DIA DE PAN, NUMA DAS PROVAS QUE EXIGEM MUITA ESTRATÉGIA E RESISTENCIA, O BRASILEIRO MOSTROU MUITA INTELIGENCIA, RAÇA E SANGUE BRASILEIRO!

VALEU!!

domingo, 29 de julho de 2007

AULA DE VOLEIBOL!


ONTEM A SELELÇÃO BRASILEIRA DE VOLEIBOL MASCULINO DEU UMA VERDADEIRA AULA DE VOLEIBOL!

CONTRA OS EUA, OS COMANDADOS DE BERNARDINHO VOARAM BAIXO EM QUADRA!

O TIME NORTE-AMERICANO NÃO OFERECEU O MÍNIMO DE RESISTENCIA, PODEMOS ATÉ DIZER QUE A COMPETITIVIDADE DA PARTIDA NÃO FOI COMPATÍVEL COM UMA FINAL!

VENCENDO POR 3 SETS A 0, A SELEÇÃO FEZ UMA CAMPANHA INVEJÁVEL!

SEM PERDER NENHUM SET, COM UM BLOQUEIO QUASE QUE PERFEITO, COM UM ATAQUE FORTE E SUTIL NA HORA CERTA, COM UMA DEFESA ESPETACULAR, REALMENTE ESTA GERAÇÃO É DEMAIS!

VEJA SÓ: CAMPEÃ OLÍMPICA, CAMPEÃ DO CAMPEONATO MUNDIAL, CAMPEÃ DA LIGA MUNDIAL 5 VEZES CONSECUTIVAS E AGORA OURO NO PANAMERICANO!

REALMENTE UMA GERAÇÃO INVEJÁVEL,

COM ABSOLUTA CERTEZA A MELHOR DA HISTÓRIA NO VOLEIBOL BRASILEIRO!

AGORA É COMEMORAR E TRABALHAR VISANDO PEKIN 2008!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...